Quem Somos

O Alternativa Cidadã, como é tradicionalmente chamado o PEAC – Projeto Educacional Alternativa Cidadã - é um projeto de educação popular voltado à comunidade. Sua principal atuação é o curso pré-vestibular. O PEAC teve sua origem nas costelas do pré-vestibular Zumbi dos Palmares, que, por sua vez, tem sua origem no Rio Grande do Sul em 1995, vinculado ao movimento negro e inspirado nos exemplos dos Projetos Steve Biko da Bahia e do Pré-vestibular para Negros e Carentes (PVNC) do Rio de Janeiro, ambos fundados em 1992, mantendo o mesmo espírito do projeto original.
No ano de 2000, na etapa de seleção dos alunos para o núcleo 4 do Zumbi dos Palmares (Viamão), houve uma procura além das expectativas. Mais de 140 pessoas se encaixavam no critério socioeconômico, mas havia somente 40 vagas. Depois de uma entrevista individual com todos os candidatos, foram escolhidos os 40 alunos. Ficaram sem vagas muitos alunos – em torno de 100 pessoas. Então, surgiu a ideia de procurar um espaço junto à UFRGS para uma nova turma, já que a escola utilizada pelo Zumbi-núcleo 4 não podia ceder outra sala. Com o apoio do Instituto de Física, foi possível a obtenção de uma sala de aula localizada no Campus do Vale da UFRGS. Nascia, a partir daí, um novo curso pré-vestibular, com os objetivos muito próximos do próprio Zumbi dos Palmares, mas com total autonomia de ação.
A aula inaugural para 80 alunos ocorreu no dia 4 de abril de 2000 com a presença de todos os professores, que apresentaram o projeto às turmas, salientando o processo de troca professor/aluno e a necessária responsabilidade social dos estudantes das universidades públicas.
Do ano de 2000 ao de 2004, o Alternativa Cidadã funcionava sem ter uma vinculação oficial com a UFRGS. Utilizava duas salas cedidas pelo Instituto de Física, no prédio 43231, no Campus do Vale. No ano de 2005, surgiu uma demanda: possibilitar aos seus estudantes fazerem a carteira escolar e terem, consequentemente, direito a pagar a metade do valor da passagem de ônibus. Com o apoio da servidora Letícia Strehl, foi registrado como Projeto de Extensão com Código da Ação 5830, em 2005 e com Código da Ação 7203, em 2006. Não foi possível, no entanto, apesar do registro como extensão, conseguir a autorização para exercer o direito dos alunos possuírem a carteira escolar. Em maio de 2007, finalmente, foi conseguido o direito de se fazer a carteira escolar para os alunos. Nesse mesmo ano, a coordenação foi transferida para outra servidora Patrícia Helena Xavier dos Santos, que o registrou na PROREXT com o Código da Ação 9407, em 2007 e com o Código da Ação 11735, em 2008, respectivamente. Em 2009, a Ação de Extensão foi transferida para o servidor Tiago Magalhães Ribeiro, que a registrou na PROREXT com o Código 15052. Em 2010 a coordenação foi transferida para professora Ilza Rodrigues Jardim. Hoje, a coordenação da extensão está sob a coordenação de José Humberto Martins Borges.
Atualmente, o PEAC está com quatro turmas que se preparam para o vestibular com cerca de 70 alunos cada e, 80 professores lecionando, todos alunos da graduação, da pós-graduação ou professores da UFRGS. Para ingressar no PEAC como aluno, o candidato deve passar por um processo de seleção no qual precisa estar dentro do perfil de aluno do projeto. Para isso, é necessário o preenchimento do Formulário de Inscrição e entrega da documentação comprobatória das informações declaradas, que serão analisadas conforme uma tabela de avaliação socioeconômica, na qual o candidato receberá nota total de 1 (um) a 36 (trinta e seis) pontos. A classificação dos candidatos se dá de forma decrescente.
No vestibular de 2012, foram aprovados 72 alunos, apenas no vestibular da UFRGS, sem ser possível quantificar os que conseguiram ser selecionados em outras universidades públicas ou obtiveram bolsas do PROUNI – Programa Universidade para Todos.
O PEAC luta e sempre lutará pela inclusão social. Nossa luta se dá pelo acesso e permanência no ensino superior. Nossa luta não é para que todos pensem da mesma forma e, sim, para que todos possam exercer sua cidadania plena. Convidamos a todos que acreditam na educação como forma de autonomia e emancipação a juntar-se a nós.